O que é quimioterapia?

A quimioterapia é o principal tratamento utilizado no combate ao câncer. Nesta abordagem terapêutica são administrados medicamentos (quimioterápicos) que se misturam ao sangue do paciente e são distribuídos para todas as regiões do corpo. Dessa forma, o remédio alcança as células cancerígenas independente do local em que elas estão e as destroem.

O tratamento quimioterápico também é conhecido pelos efeitos colaterais, sobretudo no aspecto físico do paciente. Por esse motivo, é importante que o indivíduo tenha um suporte médico, de enfermagem e emocional para que os sintomas possam ser controlados e melhor manejados.

Qual o momento do tratamento que fazemos a quimioterapia?

A quimioterapia pode ser utilizada em todos os momentos do tratamento. Utilizamos uma denominação específica para cada momento do tratamento. São eles:

Quimioterapia adjuvante

Nos pacientes que realizaram uma cirurgia com intuito curativo e devido ao risco de ainda poder existir células tumorais microscópicas após o procedimento. Fazer um tratamento quimioterápico nesta situação tem o intuito de eliminar estas células e prevenir uma recidiva do tumor.

Quimioterapia neoadjuvante

Consiste em um tratamento quimioterápico realizado antes da cirurgia ou radioterapia para os pacientes que necessitam de uma redução nas dimensões do tumor. A diminuição das dimensões do câncer tornar possível uma cirurgia ou radioterapia com menos sequelas e maior chance de sucesso.

Quimioterapia curativa

Quando o tratamento quimioterápico é suficiente para curar o câncer, não necessitando de qualquer outro tratamento.

Quimioterapia de controle

Em determinadas situações, em decorrência de um estágio avançado, a quimioterapia não tem a capacidade de destruir completamente as células tumorais. Nestes casos, utilizamos a quimioterapia para o controle da doença, tendo como objetivo principal deixar o paciente assintomático.

Como os quimioterápicos são administrados?

  • Via oral: os quimioterápicos possuem formatos de cápsula ou comprimido para serem ingeridos pela boca;
  • Subcutânea: os medicamentos são administrados por meio de injeções por baixo da pele;
  • Tópico: o quimioterápico é líquido ou em formato de pomada e é administrado diretamente na pele como um creme;
  • Intravenosa: os quimioterápicos são aplicados na veia do paciente por meio de soro ou de injeções;
  • Intramuscular: a aplicação dos medicamentos é feita no músculo do paciente;
  • Intracraneal: trata-se da modalidade menos usada. Nela, a medicação é administrada no líquido da espinha (líquor).
  • Como é uma sessão de quimioterapia?

    A grande maioria dos quimioterápicos utilizados atualmente são administrados por via intravenosa. No tratamento com quimioterapia intravenosa, tudo é muito semelhante a receber um “soro na veia”, porém tem detalhes que são bem específicos. Antes do tratamento ser confirmado, o paciente usualmente realiza um exame de sangue, para garantir que a imunidade, o fígado e os rins estão em condições de lidar com a quimioterapia. No dia da sessão de quimioterapia o enfermeiro irá providenciar um acesso venoso (“pegar a veia”) e antes do paciente receber a quimioterapia, usualmente ele recebe medicamentos com intuito de prevenir efeitos colaterais. Apenas após receber estes medicamentos preparatórios é que a sessão de quimioterapia começa. A duração da sessão de quimioterapia pode variar conforme o remédio e a sua quantidade e pode variar de poucos minutos a 48h para ser concluída.

    Quais são os efeitos da quimioterapia?

    O tratamento quimioterápico pode gerar diversos efeitos colaterais diferentes, mas cada paciente tem a sua própria sensibilidade e devido a novos medicamentos, a cada dia temos menos efeitos colaterais. Alguns dos efeitos colaterais mais comuns da quimioterapia são:

    • Queda capilar;
    • Feridas na região da boca;
    • Náuseas;
    • Diarreia;
    • Vômitos;
    • Sensibilidade na pele;
    • Infertilidade.
    • Anemia e diminuição da atividade do sistema imunológico.

    Mudanças no hábito de vida podem trazer grande impactos na redução e prevenção dos efeitos colaterais da quimioterapia. Na alimentação, aumentar a ingestão de água, consumir legumes, verduras e frutas, evitar alimentos industrializados, comidas gordurosas e consumo de álcool costumam trazer importantes benefícios.

    É importante destacar que os impactos dos quimioterápicos no organismo frequentemente desaparecem após a finalização do tratamento, porém a infertilidade é um dos poucos que pode ser definitiva.

    Para que o tratamento seja efetivo, é fundamental seguir as orientações do oncologista quanto à quantidade de sessões e o período de tratamento, tendo em vista que o tipo de tumor e suas características interferem bastante. Entre em contato e agende uma consulta na Care Oncologia para saber como a quimioterapia pode ajudar a curar o câncer.

Fale
Conosco
Seta direita

Escolha uma
Unidade