Imunoterapia

O que é imunoterapia?

A imunoterapia é uma forma de tratamento que interfere no funcionamento do sistema imunológico e, quando aplicado no tratamento do câncer, leva o sistema imunológico a reconhecer e destruir as células cancerígenas.

A imunoterapia tem se tornado uma importante aliada no combate ao câncer, sendo a modalidade terapêutica que mais tem se desenvolvido nos últimos anos.

Quais são os tipos de imunoterapia?

Os medicamentos utilizados na imunoterapia são constituídos num grande grupo e possuem estratégias diferentes para a ativação do sistema imunológico e o controle tumoral. Em alguns casos o estímulo é feito em todo o sistema imunológico, enquanto em outros o sistema imune é induzido a reconhecer e destruir somente as células cancerígenas.

A duração do tratamento com a imunoterapia varia conforme as características do tumor e a reação biológica do paciente. No geral, os principais tipos de imunoterapia em uso são:

Anticorpos monoclonais

Anticorpos desenvolvidos em laboratório que ajudam o sistema imunológico a reconhecer as células cancerígenas com mais facilidade.

Terapia de receptor de antígeno quimérico de células T

Neste caso, amostras de células T que combatem o tumor são recolhidas do sangue do paciente e no laboratório são modificadas para que se tornem mais efetivas, potencializando assim o seu efeito na eliminação das células cancerígenas;

Inibidores de ponto de controle imunológico:

Os “immune checkpoint” ou ponto de controle imunológico são proteínas presentes em nossas células e elas são chaves no processo de ativação e desativação do sistema imunológico. — É um sistema de defesa que auxilia o organismo a identificar as suas próprias células saudáveis para que elas não sejam destruídas e nem confundidas com células doentes ou invasoras. As células cancerígenas podem se disfarçar de saudáveis para que o sistema de defesa não as reconheça e as elimine. Os medicamentos da classe dos Inibidores de ponto de controle imunológico ou simplesmente os inibidores de “check-point” conseguem impedir que a célula neoplásica passe desapercebida pelo sistema imunológico e assim seja destruída.

Vacinas contra o câncer

Neste tratamento, o médico recolhe algumas amostras das células cancerígenas e modifica seus genes em laboratório para que sejam menos agressivas. Depois, as células são injetadas no organismo do paciente em forma de vacina, o que estimula o sistema imunológico a combater as demais células tumorais.

Quando é indicada a imunoterapia?

O tratamento com imunoterapia ainda não está recomendado para todos os tipos de câncer mas, à medida que os estudos avançam, novos tumores estão sendo incluídos nesta lista. Alguns dos cânceres que podem ser tratados com a imunoterapia são:

  • Câncer de cabeça e pescoço;
  • Câncer de pulmão;
  • Linfomas;
  • Melanoma;
  • Câncer de bexiga;
  • Câncer de rim;
  • Leucemia.

Quais são os efeitos colaterais da imunoterapia?

Os efeitos colaterais mais recorrentes em quem faz o tratamento com imunoterapia são:

  • Sensação de falta de ar;
  • Dificuldade para dormir;
  • Fadiga;
  • Perda de peso sem motivo aparente;
  • Coceira;
  • Redução do apetite;
  • Diarreia;
  • Febre;
  • Dor de cabeça;
  • Presença de caroço na pele (erupções cutâneas).
  • Reações alérgicas
  • Sensação de estar resfriado

A indicação da imunoterapia só pode ser realizada por um oncologista após uma avaliação detalhada do paciente. Para saber mais sobre o tratamento com imunoterapia, entre em contato e agende uma consulta na Care Oncologia.

Fale
Conosco
Seta direita

Escolha uma
Unidade