Câncer cervical

O câncer cervical ou colo uterino, surge na maioria das vezes após uma infecção crônica do colo do útero pelo HPV (papilomavírus humano). Trata-se do terceiro tumor maligno mais comum nas mulheres.

Na maioria dos casos, a infecção genital provocada pelo vírus HPV não resulta em um câncer de colo do útero, entretanto o quadro pode evoluir para um câncer cervical no passar dos anos

Quais são os fatores de risco do câncer cervical?

Os principais fatores de risco para o desenvolvimento do câncer de colo do útero são:

  • Tabagismo;
  • Histórico familiar;
  • Ter filhos muito jovem;
  • Higiene íntima insuficiente;
  • Manter relações sexuais sem proteção;
  • Atividade sexual iniciada precocemente;
  • Múltiplos parceiros sexuais durante a vida;
  • Utilização prolongada das pílulas anticoncepcionais;
  • Histórico de Doenças Sexualmente Transmissíveis (DSTs);
  • Diagnóstico de doenças no sistema imunológico (imunodeficiência).

É importante ressaltar que a identificação de um ou mais fatores de risco não é garantia de que a paciente desenvolverá o tumor. Faz-se necessário notar os sintomas da condição e fazer o check-up ginecológico anual para identificar o câncer cervical com antecedência ou até mesmo evitá-lo.

Como saber se tenho câncer de colo do útero?

Os sintomas do câncer cervical podem variar dependendo do estágio da doença, sendo que a maioria das pacientes são assintomáticas (sem sintomas) no início da doença. Apesar disso, existem alguns sinais comuns, nesses casos, que podem ajudar a paciente a identificar o tumor com agilidade. São eles:

  • Perda de peso e de apetite;
  • Corrimento vaginal anormal;
  • Dores durante o ato sexual;
  • Menstruação mais prolongada;
  • Dor na região inferior do abdômen;
  • Presença de sangue vaginal após as relações sexuais;
  • Sangramento entre os ciclos menstruais ou depois da menopausa.

Em casos mais graves a paciente ainda pode apresentar dor na lombar, edema ou inchaço nas pernas e sangramento na urina.

Como diagnosticar o câncer cervical?

O diagnóstico do câncer de colo do útero é realizado, principalmente, por meio do exame preventivo, também conhecido como Papanicolau. O médico também pode solicitar uma biópsia para retirar uma amostra da lesão e entender quais são as características do tumor.

Considerando que o tumor cervical, muitas vezes, não apresenta sintomas, é essencial que as mulheres façam o exame ginecológico anualmente, independente de sintomas para identificar o quadro com antecedência e aumentar as chances de cura.

Quais são os tratamentos para câncer cervical?

O médico definirá a melhor abordagem terapêutica com base no estágio da doença. Quando o câncer de colo do útero está em fase inicial, o tratamento mais utilizado é a ressecção cirúrgica da lesão.

Em casos mais avançados, o profissional pode optar pela radioterapia combinada com a quimioterapia. Se houver metástase, o médico pode usar a quimioterapia isoladamente na região afetada pelas células cancerígenas.

A principal prevenção do câncer cervical é não sofrer a infecção pelo vírus HPV. Portanto, é essencial que as pacientes evitem os comportamentos sexuais de risco e quando indicado, receba a vacinação contra o HPV, além de fazer o check-up ginecológico regularmente. Caso queira saber mais sobre o tumor cervical, entre em contato e agende sua consulta na Clínica Care.

Fale
Conosco
Seta direita

Escolha uma
Unidade